Órgãos

 

A Comissão Própria de Avaliação – CPA é o órgão institucional responsável pela autoavaliação. Através dela, todos os que fazemos a FAMA temos a possibilidade de definir um padrão de qualidade e persegui-lo, conforme define o ordenamento jurídico que a criou. Fazem parte dela Direção, Coordenação, professores – docentes, alunos – discentes. Enfim, toda a comunidade acadêmica.

A comissão cuida que o projeto acadêmico da Faculdade seja cumprido, o mais próximo possível do desejado, desde seus objetivos, finalidades e missões até a segurança, conforto e adequações físicas Àqueles necessitados de ações educativas especiais.

A Comissão Permanente de Políticas de Educação Ambiental – CPPEA da FAMA é o Órgão institucional de análise e condução das políticas e das atividades institucionais voltadas à educação e sustentabilidade ambiental. Assim, a CPPEA tem os seguintes objetivos: integrar a educação ambiental às disciplinas dos cursos de modo transversal, interdisciplinar, contínuo e permanente; apoiar o planejamento e a concretização de ações de ensino, pesquisa e extensão que beneficiem a melhoria da qualidade de vida da Sociedade, por entender que o Meio Ambiente deve ser compreendido como um todo social, não de forma isolada; desenvolver valores, conhecimentos, habilidades e atitudes voltadas para a preservação da Natureza e da condição humana; incentivar a realização de eventos técnico-científicos que contribuam para divulgar e disseminar a pertinência do debate permanente sobre a Educação e Sustentabilidade Ambiental; contemplar o debate jurídico, fiscal, administrativo e organizacional na compreensão articulada do Meio Ambiente ao cotidiano das práticas profissionais.

A Comissão Local de Acompanhamento e Controle Social – COLAPS é o Órgão colegiado institucional de natureza consultiva, com função preponderante de acompanhamento, averiguação e fiscalização da implementação do PROUNI na FAMA, cuja competência está especificada no art. 2º da Portaria MEC nº 1.132 de 02 de dezembro de 2009. A COLAPS promove a articulação entre a Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social – CONAP e a comunidade acadêmica da FAMA participantes do PROUNI, visando ao constante aperfeiçoamento do Programa.

Os Núcleos Docentes Estruturantes – NDE’s, formados exclusivamente por docentes, são órgãos responsáveis pela concepção e execução do Projeto Pedagógico de cada Curso. Nesse sentido, cada Curso da FAMA possui seu próprio NDE, que assume as seguintes atribuições: contribuir na elaboração do projeto pedagógico do curso, contemplando os seus elementos constitutivos, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais do respectivo curso e demais legislações que regem a Educação Superior; com base nos processos avaliativos, atualizar, periodicamente, o Projeto Pedagógico do Curso; contribuir para a consolidação do perfil profissional do egresso do Curso; indicar formas de incentivo ao desenvolvimento de atividades de iniciação científica e extensão, afinadas com as políticas públicas relativas à área de conhecimento do Curso; supervisionar as formas de avaliação e acompanhamento do curso; analisar e avaliar os programas de disciplinas e os planos de ensino e aprendizagem; promover a integração horizontal e vertical do Curso, respeitando os eixos estabelecidos pelo Projeto Pedagógico; acompanhar as atividades do corpo docente; zelar pelo cumprimento das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação.

Os Colegiados de Curso são órgãos consultivos, deliberativos e de planejamento, com representação docente e discente, responsáveis, juntamente com a Coordenação de Curso, pela condução e gerência dos Cursos ofertados pela FAMA. Assim, cada Curso possui seu próprio Colegiado, que assume os seguintes objetivos e funções precípuas: elaborar, junto à Coordenação de Curso, proposta do calendário acadêmico semestral do Curso; apreciar questões encaminhadas pela comissão de análise da ouvidoria; decidir, em primeira instância, sempre que houver necessidade, questões apresentadas por docentes e discentes; analisar, em grau de recurso, sempre que instado para tanto, questões decididas pelo Coordenador de Curso; deliberar acerca dos casos de infração disciplinar julgando-os, ou, quando necessário, encaminhando para o órgão competente; propor e/ou avaliar as atividades extracurriculares necessárias para o bom funcionamento do Curso.